Vaticano

(32) 3361-2025

Multimídia

Dízimo

São Frei Galvão: O Primeiro Santo Brasileiro 

São Frei Galvão: O Primeiro Santo Brasileiro 

  

O Brasil, com sua rica herança de fé e devoção, tem em Frei Antônio de Sant’Anna Galvão – mais conhecido como Frei Galvão – uma figura central de santidade e amor ao próximo. Nascido em Guaratinguetá, São Paulo, em 10 de maio de 1739, ele é celebrado como o primeiro santo genuinamente brasileiro e é uma inspiração para todos nós. 
Antônio cresceu em um ambiente familiar profundamente religioso, na casa de seu pai, Antônio Galvão, oriundo de Faro, Portugal, e sua mãe, Isabel Leite de Barros, de Pindamonhangaba, São Paulo. Com a riqueza e o prestígio que sua família detinha, ele foi enviado, aos 13 anos, para estudar no seminário dos padres jesuítas na Bahia. Em 1760, decidiu seguir o chamado religioso, ingressando no noviciado da Província Franciscana da Imaculada Conceição, no Convento de São Boaventura do Macacu, na Capitania do Rio de Janeiro. 
Ordenado sacerdote em 11 de julho de 1762, Frei Galvão dedicou sua vida ao serviço, à caridade e à oração. Sua transferência para o Convento de São Francisco em São Paulo se mostrou significativa. Em 1774, ele fundou o Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência, que hoje conhecemos como Mosteiro da Luz, das Irmãs Concepcionistas da Imaculada Conceição. 
Conhecido como “o homem da paz e da caridade”, Frei Galvão foi uma figura luminosa na vida de muitos. Além de ser lembrado por suas “pílulas” milagrosas – pequenos pedaços de papel com orações que traziam alívio e cura – seu legado como fundador do mosteiro da Luz e sua abordagem à vida religiosa são testamentos duradouros de sua fé e compaixão. 
Frei Galvão faleceu no dia 23 de dezembro de 1822, no Mosteiro da Luz de São Paulo. Sua sepultura, localizada na Capela-Mor da Igreja do Mosteiro da Luz, continua sendo um local de peregrinação e devoção. Sobre sua lápide, lê-se: “Aqui jaz Frei Antônio de Sant’Anna Galvão, ínclito fundador e reitor desta casa religiosa, que tendo sua alma sempre em suas mãos, placidamente faleceu no Senhor no dia 23 de dezembro do ano de 1822”. 
Papa João Paulo II, em reconhecimento a sua santidade, o beatificou em 1998, estabelecendo sua celebração litúrgica em 25 de outubro. Já em 11 de maio de 2007, Papa Bento XVI proclamou sua canonização, solidificando sua posição como o primeiro santo que nasceu, viveu e morreu em terras brasileiras. 
Hoje, lembramos de Frei Galvão como um testemunho vivo da doçura de Deus entre os homens. Frei Galvão é conhecido como o padroeiro dos construtores e dos arquitetos, em razão de suas contribuições à edificação de mosteiros e igrejas. Ele nos lembra que, com fé e amor, podemos ser instrumentos de paz e caridade em nosso mundo. Celebremos, então, a vida e o legado deste grande santo brasileiro! 

Compartilhar

Relacionados

São Cristóvão: O Gigante Gentil que Carregou Cristo